Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Histórico

04 de abril de 1843 – Nasce em Portugal, Norberto Garrido da Silva, 1º Comandante do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre.

02 de julho de 1856 – Dom Pedro II, instituiu o Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, no Rio de janeiro, através do Decreto Imperial nº 1775, o qual regulamentou, pela primeira vez no Brasil, o serviço de extinção de incêndio.

1880 – Os integrantes de Corpos de Bombeiros do Brasil passam a fazer parte de uma hierarquia militarizada.

1884– A Cia de Seguros Porto Alegrense passa a prestar um serviço informal de combate a incêndios na Cidade de Porto Alegre.

18 de abril de 1894 – Foi organizada uma comissão de agentes das Companhias de Seguros para combates a incêndio. “Em 1889, Porto Alegre ainda não tinha um Corpo de Bombeiros. Os incêndios eram debelados com 2 bombas manuais existentes no Arsenal de Guerra. Em 1894 foi organizado o Corpo de Bombeiros, iniciativa das companhias de Seguros Contra Fogo, recebendo o auxilio de 10 mil cruzeiros da Intendência Municipal e a contribuição da cota ainda existente (adicional de 10%) das Cias. de Seguros.”

01 de março de 1895 – Data oficial da criação do 1º Corpo de Bombeiros de Porto Alegre e do Rio Grande do Sul, denominado na época de “Companhia de Bombeiros de Porto Alegre”, com características militares, veículos movidos à tração animal e administrada pelo próprio município, que cobrava uma taxa, juntamente com os impostos do comércio, da indústria e proprietários de imóveis, além de auxílio da Intendência Municipal e das Companhias Seguradoras contra o fogo. Contava em seu início com um efetivo de 17 homens, “dezessete legendários bombeiros”. Estruturava-se em 1ª Seção de Incêndio, localizada na Rua Jerônimo Coelho, em Porto Alegre e 2ª Seção de Incêndio, localizada na Praça Rui Barbosa, no Centro de Porto Alegre. Seu 1º Comandante foi o Sr. Norberto Garrido da Silva, nascido em Portugal, em 04/04/1843 e falecido em Porto Alegre 08/05/1911, sendo enterrado no Cemitério da Santa Casa de Misericórdia, na atual Avenida Azenha, em Porto Alegre.

Ao longo de sua história o Corpo de Bombeiros de Porto Alegre, recebeu as seguintes denominações:

– Companhia de Bombeiros de Porto Alegre (de 1895 a 1935);

– Corpo de Bombeiros de Porto Alegre (de 1935 à 1969);

– 1º Batalhão de Bombeiros (em 1970);

– 1º Grupamento de Incêndio (em 1974);

– 1º Grupamento de Combate a Incêndio (em 1990);

– 1º Comando Regional de Bombeiros (em 2004).

1900 – É adquirido o primeiro carro de bombeiro movido à tração motora, possuindo dois carretéis para mangueira, além de um carro ligeiro para condução de pessoal.

1901 – Foi adquirida a primeira lancha para serviços fluviais. Denominava-se “gamellas” e era utilizada para serviços de combate a incêndios e salvamentos.

23 de julho de 1901 – Criação do Corpo de Bombeiros de Pelotas.

1907 – Porto Alegre já conta com 200 hidrantes na Cidade para combates ao fogo.

1911 – Foram adquiridas as primeiras bombas-químicas para combates a incêndio.

08 de maio de 1911 – Falece em Porto Alegre, o 1º comandante do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre: Norberto Garrido da Silva.

1912 – Criação do Corpo de Bombeiros da Floresta, em Porto Alegre.

1913 – O Corpo de Bombeiros de Porto Alegre passa a contar com viaturas Mullag oriundas da Alemanha, para utilização em combates a incêndio.

03 de fevereiro de 1913 – Criação do Corpo de Bombeiros de Rio Grande.

1923 – É adquirida a primeira lancha-bomba do Corpo de Bombeiros: a lancha General Adalberto Petrasi.

1926 – Foi adquirida de Hamburgo, na Alemanha, a lancha de combate ao fogo, General Petrazzi, com dois potentes motores que bombeavam água em abundância, do Cais do Porto ao Centro da Capital, por ocasião de grandes incêndios em Porto Alegre.

20 de setembro de 1928 – Criação do Corpo de Bombeiros de Bagé.

1929 – O CB adquire um chassis Chevrolet e o transforma em auto-bomba nas próprias oficinas da unidade.

1930 – São adquiridos pelo CBPA, um chassis “DODGE” e dois aparelhos de menfisto destinados à penetração no fogo.

27 de junho de 1935 – A Companhia de Bombeiros de Porto Alegre é incorporada à Brigada Militar do Rio Grande do Sul, através do Decreto nº 5.985, assinado pelo então interventor do Estado, General Flores da Cunha. Ainda neste ano, por meio do Decreto nº 6.033, de 1º de agosto, é aprovada a organização do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre, sendo designado para o Comando o Tenente Coronel Raimundo Astrogildo de Lima Bastos.

1938 – O Corpo de Bombeiros conta com a seguinte frota de viaturas: 03 Auto-bombas de marca “MULAG”, 01 da marca “CHEVROLET” e 2 da marca “DODGE” e 02 de marca “Internacional”.

1948 – É lançada a pedra fundamental do futuro quartel de Bombeiros da Silva Só.

20 de junho de 1949 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santana do Livramento.

18 de setembro de 1949 – Criação do Corpo de Bombeiros de Uruguaiana.

26 de dezembro de 1949 – Criação do Corpo de Bombeiros de Passo Fundo.

18 de agosto de 1950 – Criação do Corpo de Bombeiros de Cruz Alta.

19 de agosto de 1950 – Criação do Corpo de Bombeiros de Cachoeira do Sul.

29 de novembro de 1952 – Criação do Corpo de Bombeiros de Novo Hamburgo.

18 de junho de 1953 – A Seção de Bombeiros de Bagé passou a fazer parte da Brigada Militar do Estado, por intermédio de acordo feito entre a Prefeitura de Bagé e o Governo do Estado.

02 de abril de 1954 – Através do Decreto nº 35.309, Getúlio Dornelles Vargas, então presidente da república, estabeleceu o “Dia do Bombeiro Brasileiro” e a “Semana de Prevenção Contra Incêndio”, decretando o seguinte:

“Art. 1º – Ficam instituídos, para serem comemorados anualmente, no dia 2 de julho e na semana em que este dia estiver compreendido, respectivamente, o “Dia do Bombeiro” e a “Semana de Prevenção Contra Incêndios”.

           Art. 2º – Este decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Rio de Janeiro, em 2 de abril de 1954.“

24 de setembro de 1954 – Criação do Corpo de Bombeiros de Farroupilha.

31 de outubro de 1954 – Inauguração da Estação de Bombeiros de Bento Gonçalves, em um prédio de madeira de propriedade da prefeitura, com um efetivo de 12 homens.

16 de Março de 1955 – Criação da Estação de Bombeiros de Santa Maria.

22 de março de 1955 – Em 22 de março de 1955, através da Lei Municipal nr 321, de 07 de Março de 1955, aprovada pela Câmara de Vereadores de Ijuí, autorizou convênio entre Município e Estado, para a organização dos serviços de Combate a Incêndios, Socorros Públicos e Prevenção Contra Incêndios. A Estação de Bombeiros foi instalada na Praça da República, com um efetivo existente de 12 homens, tendo como Comandante o Sgt Pedro Geraldi Vanin, o qual contava com uma Viatura ABT cedida pelo Corpo de Bombeiros de Santa Maria.

07 de abril de 1957 – Criação do Corpo de Bombeiros de Palmeira das Missões.

24 de junho de 1957 – Criação do Corpo de Bombeiros de Vacaria.

08 de julho de 1958 – Criação do Estação de Bombeiros da Silva Só. O Corpo de Bombeiros de Porto Alegre passa a operar no novo Quartel da Silva Só.

set/1958 – É lançada a Edição Especial da Revista America Magazine em Homenagem ao Corpo de Bombeiros da Brigada Militar do Rio Grande do Sul.

02 de janeiro de 1959 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santo Ângelo.

07 de dezembro de 1959 – Criação do Corpo de Bombeiros do Passo D´Areia, em Porto Alegre.

21 de abril de 1961 – Foi criada a Diretoria de Bombeiros, como um dos Órgãos de Direção da Brigada Militar, com objetivo de dirigir e fiscalizar as atividades decorrentes das missões das Unidades do Corpo de Bombeiros, incluindo suprimentos e a manutenção dos materiais peculiares (Decreto Estadual nº 12.280).

29 de junho de 1961 – Criação do Corpo de Bombeiros da Assunção, em Porto Alegre.

05 de outubro de 1963 – Oito anos após a sua criação, a Estação de Bombeiros de Ijuí recebeu sua Segunda Viatura de Combate ao fogo, um caminhão Ford F-600, equipado com tanque para 3500 litros de água. Ainda em dezembro do ano de 1963, foi contemplado com 10 novos Soldados Bombeiros que passaram a integrar o Efetivo do Corpo de Bombeiros de Ijuí.

03 de julho de 1964 – Criação do Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul.

15 de dezembro de 1964 – Criação do Corpo de Bombeiros de Estrela.

13 de março de 1965 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santa Cruz do Sul.

18 de novembro de 1965 – Criação do Corpo de Bombeiros do Partenon, em Porto Alegre.

15 de setembro de 1967 – Criação do Corpo de Bombeiros de Alegrete.

10 de outubro de 1967 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santa Rosa.

23 de dezembro de 1967 – Criação do Corpo de Bombeiros de Erechim.

08 de janeiro de 1969 – Criação do Corpo de Bombeiros da Seção Contra Incêndio Aeroporto, com guarnições mistas de bombeiros de Porto Alegre e do V COMAR, da Aeronáutica.

1969 – A Estação de Bombeiros de Ijuí foi elevada para Cia, sendo denominada 3ª Cia de Socorro, com Pelotões em IJUÍ, CRUZ ALTA, PALMEIRAS DAS MISSÕES, SANTA ROSA, SANTO ÂNGELO, PASSO FUNDO e ERECHIM.

11 de novembro de 1969 – Criação do Corpo de Bombeiros de Canoas.

13 de maio de 1970 – Foi extinta a Diretoria de Bombeiros e seus órgãos desativados, tendo as Unidades de Bombeiros sido transformadas em Pelotões Especiais de Socorro, subordinadas às Unidades de Policiamento.

25 de agosto de 1970 – O Governador do Estado, Coronel da Brigada Militar Walter Peracchi de Barcelos, sanciona a Lei 6.019 que autoriza os municípios a firmarem convênios com o Estado para  instalarem Corpos de Bombeiros para a execução dos serviços de combate a incêndio, salvamento e prevenção de incêndio.

15 de dezembro de 1970 – Criação do Corpo de Bombeiros de Lagoa Vermelha.

27 de maio de 1972 – Criação do Corpo de Bombeiros de Taquara.

26 de novembro de 1973 – Criação do Corpo de Bombeiros de Jaguarão.

13 de agosto de 1974 – Através do Decreto nº 23.245, foi criado o Comando do Corpo de Bombeiros (CCB), órgão de execução, responsável perante o Comando Geral pelo planejamento e execução de todas as atividades de prevenção, proteção e combate contra incêndio, de socorro, busca e salvamento, a ele subordinando-se todas as Unidades de Bombeiros Militares, para fins de instrução e operações. Com essa iniciativa iniciou-se novo processo de recuperação das atividades operacionais de bombeiros

08 de novembro de 1974 – Criação do Corpo de Bombeiros de Carazinho e Panambi.

02 de fevereiro de 1975 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santa Maria.

12 de dezembro de 1975 – Reinauguração do Corpo de Bombeiros da Floresta (Antigo Destacamento Leste), em Porto Alegre.

1976 – A 3ª Cia de Socorro de Ijuí é transformada em 2º SGCI (Sub Grupamento de Combate a Incêndio), com área de responsabilidade sobre os municípios de Cruz Alta, Panambi e Palmeiras das Missões, ligando-se ao 4º GI, sediado em Santa Maria.

Mar/1978 – Por meio de convênio com a INFRAERO, o Governo do Estado reinaugura a Estação Aeroporto, dessa vez com exclusividade da Corporação.

28 de dezembro de 1978 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Borja.

02 de fevereiro de 1979 – Criação do Corpo de Bombeiros de Osório.

20 de novembro de 1980 – Criação do Corpo de Bombeiros do Açorianos, em Porto Alegre.

03 de janeiro de 1981 – Criação do Corpo de Bombeiros de Tramandaí.

01 de julho de 1981 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Gabriel.

14 de agosto de 1981 – Criação do Corpo de Bombeiros de Guaíba.

05 de dezembro de 1981 – O Decreto Estadual nº 30.462, estabelece que o CCB é um Órgão de Execução, diretamente subordinado ao Comandante-Geral é o responsável pelo planejamento, fiscalização, coordenação e execução das missões de prevenção e combate a incêndios, buscas e salvamentos em todo o Estado. Mais uma vez o Corpo de Bombeiros vê interrompida sua trajetória, quando é novamente surpreendido pelos projetos de lei nº 254 e 255, que previam a desativação do Comando do Corpo de Bombeiros, passando suas Unidades Operacionais a se subordinarem aos Comandos de Policiamento da Área, resultando na extinção do CCB, através do Decreto nº 34.572, de 16 Dez 92, apesar da inconformidade da maioria dos oficiais ligados à área de Bombeiros.

Dez/1982 – É instalado no Cais do Porto, em Porto Alegre, o Subgrupamento de Busca e Salvamento, com missões específicas de buscas, salvamentos e resgates aquáticos em todo o Estado.

06 de fevereiro de 1982 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santiago.

12 de novembro de 1982 – Criação do Corpo de Bombeiros de Montenegro.

07 de outubro de 1983 – Criação do Corpo de Bombeiros de Dom Pedrito.

17 de julho de 1984 – Criação do Corpo de Bombeiros de Gravataí.

16 de abril de 1985 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santa Cruz do Sul – Distrito Industrial.

21 de junho de 1985 – Criação do Corpo de Bombeiros de Belém Novo, em Porto Alegre, com recursos oriundos da Comunidade.

1987 – Neste ano foi implantado, em Porto Alegre, o Serviço de Apoio ao Controle de Cargas Perigosas (GEACCAP), visando atender ocorrências com produtos perigosos em todo o Estado do RS.

17 de julho de 1987 – Criação do Corpo de Bombeiros de Veranópolis.

30 de dezembro de 1987 – Criação do Corpo de Bombeiros de Venâncio Aires.

1988 – A constituição Brasileira estabelece a subordinação dos Corpos de Bombeiros Militares (Art. 144, Parágrafos 5º e 6º).

1988 – Foi implantado na Capital, o Serviço de Atendimento de Emergências (GAE), conhecido por Anjos da Guarda.

01 de julho de 1989 – Criação do Corpo de Bombeiros de Esteio.

22 de setembro de 1989 – É criado o CEIB (Centro de Ensino e Instrução de Bombeiros), na Silva só, 300, em Porto Alegre, através do Decreto Lei Estadual nº 33.306, sendo seu primeiro Comandante o Tenente Coronel Eduardo Nascimento de Oliveira e Sub Comandante Major Hamilton Magalhães Gloor.

08 de novembro de 1989 – Criação do Corpo de Bombeiros de Sapiranga.

1990 – Criação do Corpo de Bombeiros de Rio Grande – Superporto.

02 de março de 1990 – Criação do Corpo de Bombeiros de Horizontina.

10 de outubro de 1990 – Criação do Corpo de Bombeiros de Rio Pardo.

02 de março de 1991 – Criação do Corpo de Bombeiros de Capão da Canoa.

05 de março de 1991 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Luiz Gonzaga.

07 de março de 1991 – Criação do Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul – Seção Bairro Cruzeiro.

04 de abril de 1991 – Criação do Corpo de Bombeiros de Sapucaia do Sul.

16 de agosto de 1991 – Criação do Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul – Seção Aeroporto.

10 de junho de 1992 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Leopoldo.

02 de julho de 1992 – Criação do Corpo de Bombeiros de Alvorada.

15 de setembro de 1992 – Criação do Corpo de Bombeiros de Torres.

19 de setembro de 1992 – Criação do Corpo de Bombeiros de Guaporé.

18 de novembro de 1992 – Criação do Corpo de Bombeiros de Viamão.

1993 – O CB Ijuí, desvinculando-se de Santa Maria, passa a integrar o 7º GCI, localizado em Passo Fundo.

20 de maio de 1993 – O CCB é desativado pela Portaria nº 005/PM 1/93, do Comando Geral da Brigada Militar. Os Grupamentos de Combate á Incêndio passam a subordinar-se diretamente aos Comandos Intermediários.

14 de julho de 1993 – É instalada a 7ª Seção do Estado-Maior da Brigada Militar – PM7, junto ao Quartel do Comando Geral, com atribuições semelhantes ao CCB, conforme Portaria nº 011/PM 1/93, do Exmo Sr Comandante Geral da Brigada Militar.

03 de agosto de 1993 – É estabelecida pela Portaria nº 013/PM 1/93, do Comando Geral da Brigada Militar, a organização, competência e as atividades da PM 7, incluindo a elaboração das diretrizes e ordens do Comando Geral, além de acionar os órgãos de execução no cumprimento de suas missões, cabendo ainda assessorar as demais Seções do EMBM nos assuntos interligados com as atividades de Bombeiro e Defesa Civil.

1994 – Durante o ano de 1994, mediante a interação do CRB-Missões, o CB Ijuí, junto a Comunidade Ijuiense, iniciou os trabalhos de intercâmbio, com a Cidade Alemã de DARMSTAD, numa oportunidade em que o Sr HARTMUT SCHMIDT, Comandante do Corpo de Bombeiros da Alemanha esteve visitando o Comando Regional de Bombeiros Missões, no que as tratativas foram exitosas principalmente na questão relacionada com viaturas de Combate a Incêndio, Busca e Salvamento, inclusive para outras regiões do Estado.

1994 – Criação do Corpo de Bombeiros de Cassino.

27 de maio de 1994 – Criação do Corpo de Bombeiros de Flores da Cunha.

30 de maio de 1994 – Criação do Corpo de Bombeiros de Cidreira.

04 de outubro de 1994 – Criação do Corpo de Bombeiros de Frederico Westphalen.

1995 – Criação do Corpo de Bombeiros de Pelotas – Bairro Fragata.

24 de abril de 1995 – Através da Portaria nº 001/95, o CCB é reativado nos moldes dos Comandos previstos na Lei nº 7.556, de 20 de novembro de 1981, sendo extinta a PM 7. A reativação do CCB está embasada pelo Decreto Estadual nº 34.572, de 16 de dezembro de 1992, que regulamentou a Lei de Organização Básica da Brigada Militar, com o entendimento que o CCB não foi extinto, apenas desativado temporariamente, conforme determinação do Comandante Geral da Brigada Militar.

03 de maio de 1995 – É reinstalado o CCB em Porto Alegre, na antiga sede do Laboratório Químico Farmacêutico da Brigada Militar, na Rua André Belo, nº 422, Bairro Praia de Belas. Conforme determinação do Chefe do EMBM, as Unidades de Bombeiros passam à subordinação operacional do CCB (Telex nº 061/PM 1/95).

24 de janeiro de 1996 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santo antônio da Patrulha.

02 de setembro de 1996 – Criação do Corpo de Bombeiros de Giruá.

27 de dezembro de 1996 – Inauguração do Corpo de Bombeiros da Mauá, em Porto Alegre.

23 de março de 1998 – Criação do Corpo de Bombeiros de Cachoeirinha.

28 de maio de 1998 – Criação do Corpo de Bombeiros de Gramado.

22 de janeiro de 1998 – Através do Decreto Estadual nº 38.107, o CEIB passou a denominar-se “Escola de Bombeiros” (EsBo) tendo como missão precípua o preparo técnico-profissional dos Militares Estaduais da Brigada Militar que desempenharão suas funções em unidades do Corpo de Bombeiros Militar, além de estimular e fomentar a educação continuada destes profissionais.

22 de janeiro de 1998 – A Lei Estadual nº 10.991, combinada com o Decreto Estadual Nº 38.107, de 22 de Janeiro de 1998, regulamentou a Lei de Organização Básica da Brigada Militar, com a criação em Porto Alegre do Comando Regional de Bombeiros da Área Metropolitana – CRBAM, sendo extinto o Comando do Corpo de Bombeiros, descompondo novamente o canal de comando e doutrinário de uma atividade técnica essencial. Passando os Corpos de Bombeiros dos municípios de Guaíba, Alvorada, Cachoeirinha, Viamão e Gravataí a serem subordinados ao CRBAM. A sede do CCB, na Estação Açorianos, passa a ser do CRBAM. O 1º GCI passa a ser subordinado operacionalmente ao CRBAM.

08 de junho de 1998 – O Comando Regional de Bombeiros Missões, foi criado pelo Dec. nº 38.548 de 08 de Junho de 1998, e instalado no dia 27 de Julho do mesmo ano, através da Portaria nº 037 do EMBM/98, combinado com a Ordem de Serviço nº 04/EMBM/98. O Quadro de Organização publicado no BG nº 117 de 24 Jun 98, tendo como seu primeiro Comandante o Ten Cel Florduardo Oliveira Thomaz. Com sede no Município de Ijuí, e responsabilidade circunscricional de 78 Municípios dos quais 08 (Sete) possuem OPM de Bombeiro, sendo eles: Ijuí, Panambi, Três Passos, Horizontina, São Luiz Gonzaga, Santa Rosa e Giruá e Santo Ângelo .

27 de julho de 1998 – O CB Ijuí passou a pertencer ao CRB Missões.

04 Dezembro de 1998 – Assumiu o Comando do CRB-Missões, o Ten Cel QOEM JUAREZ FERNANDES DE SOUZA, tendo permanecido no Comando até 18 de Agosto do ano de 1999, oportunidade que passou o Comando ao Maj QOEM CARLOS FLORES LAZZARI, que permaneceu no Comando até 04 de Fevereiro do ano de 2000, quando assumiu o Comando o MAJ QOEM VERONI CORDEIRO DO NASCIMENTO.

28 de dezembro de 1998 – Criação do Corpo de Bombeiros de Três Passos.

15 de janeiro de 1999 – É criada a Adjuntoria de Bombeiros – AB, junto a Seção de Inteligência, Operações e Treinamento – SIOT do EMBM, no Quartel do Comando Geral da Brigada Militar, conforme Ofício nº 1374/AB/99 do Sub Comandante Geral da Brigada Militar, sendo este órgão o responsável para tratar de assuntos relativos a atividades de bombeiro na Corporação junto aos CRB.

23 de fevereiro de 1999 – Criação do Corpo de Bombeiros de Rosário do Sul.

02 de julho de 1999 – Criação do Corpo de Bombeiros da Restinga, em Porto Alegre.

11 de novembro de 1999 – Criação do Corpo de Bombeiros de Parobé.

22 de dezembro de 1999 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santa Vitória do Palmar.

04 de agosto de 2000 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Jerônimo.

25 de outubro de 2000 – Criação do Corpo de Bombeiros de Erechim – Bairro Três Vendas.

17 de maio de 2001 – Desativação da Adjuntoria de Bombeiros e passagem de documentos para o CRBAM (Ofício nº 1126 e BG nº 094 – Nota 596/DA/SCE/01, de 19 de maio de 2001).

30 de maio de 2001 – Através da Portaria SJS nº 084, é criado o Comando Regional de Bombeiros do Litoral, com sede em Tramandaí, estabelecendo a seguinte circunscrição territorial: CB Osório, CB Cidreira, CB Capão da Canoa, CB Santo Antônio da Patrulha, CB Torres e CB Tramandaí. (Diário Oficial nº 111, de 12 de junho de 2001)

29 de junho de 2001 – Criação do Corpo de Bombeiros de Tramandaí (Sede).

08 de julho de 2001 – Através da Portaria nº 115/EMBM/2001, o Exmo Sr Comandante Geral da Brigada Militar delega atribuições ao CRBAM para subordinação administrativa e operacional dos comandos regionais de bombeiro (BG nº 114, de 18 de junho de 2001);

24 de setembro de 2001 – Através da Portaria nº 124/EMBM/2001, o Exmo Sr Comandante Geral da Brigada Militar revoga a Portaria nº 115/EMBM/2001, e cria a Comissão Permanente de Assuntos Técnicos da Área de Bombeiros (BG nº 188, de 02 de outubro de 2001).

07 de novembro de 2001 – Através da Portaria nº 126/EMBM/2001, o Exmo Sr Comandante Geral da Brigada Militar revoga a Portaria nº 124/EMBM/2001, e nomeia um Estado-Maior Especial para tratar de assuntos técnicos da área de bombeiros, instaurando a a Comissão de Padronização de Material, a Comissão de Proteção e Prevenção Contra Incêndios e a Comissão de Padronização Operacional (BG nº 212, de 08 de novembro de 2001).

01 de março de 2002 – Advindo da necessidade de mudança de um modelo de comando para assuntos de bombeiro que contemplasse as necessidades da comunidade e da Instituição, o Comando do Corpo de Bombeiros foi reativado novamente, através do Decreto nº 41.427, de 22 Fev de 2002, e instalado em 01/03/2002, com sede em Porto Alegre, na Av. Aureliano Figueiredo Pinto, nº 345, com o objetivo de planejar, organizar, fiscalizar, controlar e instruir, é também responsável pelas atividades técnicas de bombeiro em todo o Estado, bem como pela orientação e instrução dos serviços auxiliares de combate a incêndio. Foi designado para o comandar o CCB o Cel QOEM Juarez Fernandes de Souza, sendo Chefe do EM/CCB o Ten Cel Edison Luiz Munari Zingano, sendo o CCB então estruturado em três Divisões: Divisão Técnica de Prevenção de Incêndio e Investigação, Divisão de Operações e Defesa Civil e Divisão Administrativa.

03 de julho de 2002 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Pedro do Sul.

06 de julho de 2002 – Criação do Corpo de Bombeiros de Caxias do Sul – Seção Desvio Rizzo.

22 de novembro de 2002 – Houve a transferência do CRB-Missões para a cidade de Santo Ângelo, através da Portaria Nr 03/Diretoria Administrativa – Seção de Movimentação (DA/SMOV/2002), designando nova área de responsabilidade e Comando Regional de Bombeiros de Ijuí, passou a denominar-se de Noroeste Colonial, ficando constituido das Frações destacadas em Horizontina, Três Passos, Panambi, Cruz Alta e Ijuí e Três de Maio, sendo que posteriormente foi instalado o Corpo de Bombeiro Misto no Município de Tapera.

03 de maio de 2003 – Criação do Corpo de Bombeiros de Canoas – Seção Bairro Mathias Velho.

02 de julho de 2003 – Criação do Corpo de Bombeiros de Passo Fundo – Bairro Petrópolis.

04 de fevereiro de 2004 – O CB Ijuí, através do Decreto Nº 48.871 de 04 de Fevereiro de 2004, que regula a lei de Organização Básica da Brigada Militar, passou a denominar-se 12º Comando Regional de Bombeiros, permanecendo sediado em Ijuí em prédio próprio do Estado, desde 22 Nov 2002, tendo responsabilidade territorial de 61 Municípios.

05 de maio de 2004 – Criação do Corpo de Bombeiros de Três de Maio.

08 de outubro de 2004 – Criação do Corpo de Bombeiros de Santana do Livramento – Seção Bairro Armour.

23 de outubro de 2004 – Criação do Corpo de Bombeiros de Dois Irmãos.

20 de dezembro de 2004 – Criação do Corpo de Bombeiros de Lajeado.

27 de fevereiro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Vera Cruz.

09 de junho de 2005 – Criação do Grupamento de Busca e Salvamento.

27 de julho de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Tapera.

01 de agosto de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Campo Bom.

05 de agosto de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Restinga Seca.

27 de outubro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Encruzilhada do Sul.

07 de novembro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de São José do Norte.

28 de novembro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Getúlio Vargas.

03 de dezembro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Soledade.

10 de dezembro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Quaraí.

13 de dezembro de 2005 – Criação do Corpo de Bombeiros de Faxinal do Soturno.

30 de janeiro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Agudo.

30 de janeiro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Canela.

03 de fevereiro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Terra de Areia.

02 de março de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Camaquã.

05 de março de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Itaqui.

10 de março de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Portão.

17 de março de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Caçapava do Sul.

17 de março de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Sepé.

10 de junho de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Candiota.

01 de agosto de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Nova Santa Rita.

27 de novembro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Teresópolis, em Porto Alegre.

14 de dezembro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Ibirubá.

20 de dezembro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Encantado.

21 de dezembro de 2006 – Criação do Corpo de Bombeiros de Barra do Quaraí.

21 de dezembro de 2007 – Criação do Corpo de Bombeiros de São Marcos.

12 de junho de 2009 – Criação do Corpo de Bombeiros de Mostardas.

20 de novembro de 2009 – Inauguração da 2ª Seção de Busca e Salvamento, com prédio situado no Bairro Fenavinho, em Bento Gonçalves.

27 de maio de 2011 – Criação do Corpo de Bombeiros de Nonoai.

10 de janeiro de 2013 – Foi inaugurado, no Comando do Coronel QOEM Guido Pedroso de Melo, a primeira sede própria do Comando do Corpo de Bombeiros (CCB), em Porto Alegre (Rua Silva Só, 300 – Bairro Sta Cecília), onde localizava-se a antiga Oficina II da Brigada Militar.

11 de outubro de 2013 – O Chefe do Estado Maior da Brigada Militar, no exercício da competência delegada pelo Comandante-Geral da Brigada Militar através da Portaria N.º 123/EMBM/2001, de 17 de setembro de 2001, cria, no Quadro Organizacional (QO) do Comando do Corpo de Bombeiros (CCB), a 1ª Seção de Comunicação Social do Corpo de Bombeiros, em Porto Alegre.

18 de março de 2014 – O Governador do Estado, Tarso Genro, assina a PEC 232 (desvinculação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar. No ato da assinatura, encontravam-se presentes, o Secretário da Segurança Pública, Airton Michels, o Comandante Geral da Brigada Militar, Cel Fábio Duarte Fernandes, o Comandante do Comando do Corpo de Bombeiros, Cel Eviltom Pereira Diaz, Comandantes dos Comandos Regionais de Bombeiros e do Grupamento de Busca e Salvamento.

03 de junho de 2014 – Aprovação da PEC 232/2014, em 1º turno na Assembléia Legislativa, propondo a separação do Corpo de Bombeiros, da BM.

17 de junho de 2014 – Foi votada e aprovado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em segundo turno, o Projeto de Emenda Constitucional nº 232/14, criando o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul e desvinculando-o da Brigada Militar.

26 de junho de 2015 – A Portaria nº 606/EMBM/2015, através do Boletim Geral nº 119, estabelece normas complementares para o novo uniforme operacional do Corpo de Bombeiros (11º OC).

02 de julho de 2015 – Foi lançado, através da Seção de Tecnologia da Informação, oficialmente, o novo site do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul.

20 de setembro de 2015 – É utilizado por integrantes do Corpo de Bombeiros Militar, pela primeira vez, no desfile cívico alusivo à Semana Farroupilha , o novo modelo do fardamento operacional 11º OC.

23 de setembro de 2015 – O Comandante do Comando do Corpo de Bombeiros, Tenente Coronel Adriano Krukoski Ferreira assina as Portarias nº 001/CCB-CBMRS/2015 e 002/CCB-CBMRS/2015, aprovando o descritivo técnico do uniforme especial de bombeiro militar (11ºOC) e  descritivo técnico de insígnias do novo uniforme.

14 de outubro de 2015 – Assinatura do Decreto Estadual nº 52.596 o qual instituiu o Brasão de Armas do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul – CBMRS.

23 de outubro de 2015 – Neste dia houve a formatura de 25 servidores, na Escola de Bombeiros (EsBo), oriundos do Corpo de Bombeiros e do Policiamento,  que participaram da  2ª Edição do CACBS (Curso de Formação de Adestradores de Cães de Busca e Salvamento), o qual foi realizado em Montenegro, no período de 09/09/15 à 23/10/15. Os Cães utilizados para auxiliar os alunos no aprendizado foram filhotes das raças: Labrador, Golden Retriver, Pastor Alemão e Pastor Malinoi entre 10 e 18 meses de idade.O Curso foi planejado pela Escola de Bombeiros (EsBo) atendendo solicitação do Comando do Corpo de Bombeiros (CCB) e executado em parceria com o Grupamento de Busca e Salvamento (GBS).

23, 24 e 25 de fevereiro de 2016 – É realizado no Município de Torres, o Planejamento Estratégico do CBMRS, chamado “Prospectiva 21″, contando com a participação de mais de cem oficiais componentes do Corpo e Bombeiros do qual resultou a II Carta de Torres.

21, 22 e 23 de março de 2016 – O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, através da Divisão Técnica de Prevenção de Incêndio e Investigação, realiza, na cidade de Bento Gonçalves/RS, o Simpósio de Integração e Padronização em Segurança Contra Incêndio,o qual reuniu bombeiros militares atuantes nas Seções de Prevenção de Incêndio e Assessorias de Atividades Técnicas de todo estado.

28 de março de 2016 – Através da Divisão Técnica de Prevenção de Incêndio e Investigação (DTPI/CCB), entra em funcionamento o Módulo de Segurança Contra Incêndio (MSCI/SISBOM), software desenvolvido para agilizar os processos de obtenção de alvarás de prevenção de incêndios no Estado do Rio Grande do Sul.

17 de junho de 2016 – É inaugurado o  Centro de Treinamento dos Bombeiros da Serra, em Bento Gonçalves.

Release Imprensa/Release BM/PM5.

01 de julho de 2016 – O Governador do Estado do Rio Grande do Sul, através de ofício,  encaminha para a Assembléia Legislativa/RS o projeto de lei que oficializa a separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar.

02 de julho de 2016 – Ocorre,  no Parque da Redenção, junto ao monumento do Expedicionário, a formatura alusiva ao Dia do Bombeiro em que o efetivo todo utilizou pela primeira vez  o novo fardamento operacional do CBMRS, o 11º OC.

12 de julho de 2016 – É aprovada na Assembléia Legislativa do RS, por 47 a 0,  a Lei de Organização Básica do Corpo de Bombeiros, que prevê as diretrizes básicas que vão consolidar a separação do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar, através da PLC 139/16.

02 de agosto de 2016 – Através do DOE nº 146, de 02/08/16, é publicada a Lei de Organização Básica do CBMRS (Lei 14.920) – DOE Página 1 – DOE Página 2 – Promulgação (Histórico)

30 de agosto de 2016 – É aprovado na Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul o projeto que altera a Lei Kiss. (Notícia)

06 de setembro de 2016 – Nesta data foi assinado pelo Governo do Estado, o Decreto que regulamenta o CoesPPCI (Conselho Estadual de Segurança, Prevenção e Proteção Contra Incêndio) e o CorPPCI (Conselho Regional de Segurança, Prevenção e Proteção Contra Incêndio). (Notícia)

22 de Setembro de 2016 – Em virtude do desmembramento do Corpo de Bombeiros Militar no Estado do Rio Grande do Sul da Brigada Militar, através da Emenda Complementar (EC) 67, de 17 de junho de 2014 e da Lei Complementar nº 14.920, de 01 de agosto de 2016, que dispõe sobre a Organização Básica do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Sul, é instituída, nesta data, a “Academia de Bombeiro Militar”, sendo responsável pelo planejamento, controle e fiscalização das atividades relacionadas ao ensino e à pesquisa científica da Instituição, bem como pela capacitação continuada dos servidores e dos profissionais civis que exerçam atividade auxiliar de bombeiro em âmbito estadual.

22 de setembro de 2016 – O governador José Ivo Sartori sanciona, nesta data,  no Palácio Piratini, o projeto que altera a Lei Kiss e agiliza a concessão de alvarás no Rio Grande do Sul. (Matéria)

Grandes ocorrências no Estado

1912 – Incêndio do Mercado Público, em Porto Alegre.

1941 – Grande enchente de Porto Alegre. Histórico: A enchente de 1941 foi a maior enchente registrada na cidade de Porto Alegre. Durante os meses de abril e maio a precipitação somou 791 milímetros e deixou 70 mil flagelados sem energia elétrica e água potável. As águas do Lago Guaíba alcançaram a cota recorde de 4,75 metros, com um tempo de recorrência de 370 anos. As cheias que ocorrem no lago Guaíba são causadas por fatores ambientais inter-relacionados, principalmente pelas chuvas intensas que ocorrem nas cabeceiras dos rios afluentes, sobretudo em anos de El Nino, juntamente com o efeito de represamento decorrente do vento sul no estado. O centro da cidade ficou debaixo d’água e os barcos se tornaram o principal meio de transporte de Porto Alegre em maio daquele ano. Após esta data, o Arroio Dilúvio foi canalizado, o Muro da Mauá foi construído e um sistema de drenagem foi instalado, para evitar a repetição do problema. Desde então, a cidade não teve mais enchentes de tais proporções.

(Texto extraído de Wikipédia – Site: https://pt.wikipedia.org/wiki/Enchente_em_Porto_Alegre_em_1941 )

19 de novembro de 1949 – Incêndio Tribunal Superior do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre. Histórico:  um incêndio criminoso destruiu o prédio do então Tribunal Superior do Rio Grande do Sul, atual Tribunal de Justiça, na praça Marechal Deodoro. Milhares de processos se perderam e a valiosa biblioteca do tribunal, uma das melhores do país, foi completamente destruída. Desapareceram com as chamas volumes raros e coleções de jornais antigos, como A Federação, que contavam uma parte da história do Rio Grande.

(Texto extraído do site: http://www.cpovo.net/jornal/especiais/cpespecial/html/SERVICOS.HTM )

13 de maio de 1967 – Incêndio no edifício Marechal Mallet, antigo Grande Hotel, na esquina da Andradas com a Caldas Júnior, em Porto Alegre. Histórico: o fogo destruiu em pouco mais de três horas um dos grandes e históricos prédios da área central: o edifício Marechal Mallet, antigo Grande Hotel, na esquina da Andradas com a Caldas Júnior. Como lembrou o Correio do Povo à época, a destruição do Mallet virou uma página da história de Porto Alegre. De suas sacadas, nos movimentos revolucionários de 1923 e 1930, falaram Assis Brasil, Osvaldo Aranha e Getúlio Vargas.

(Texto extraído do site: http://www.cpovo.net/jornal/especiais/cpespecial/html/SERVICOS.HTM )

03 de maio de 1971 – Explosão do depósito de fogos de artifício Fulgor, em Porto Alegre. Histórico: Em 03 de Maio de 1971, ocorreu a explosão do Depósito de fogos artifício “Fulgor”, na esquina da Avenida Farrapos com a Rua João Inácio, em frente ao número 3811, no bairro Navegantes, num prédio de alvenaria de um pavimento.Houve uma violenta explosão seguida de um incêndio, com destruição total da edificação. O fogo iniciou ás 14:20 h sendo debelado somente às 18:00 h.
Envolveram-se na extinção do sinistro cerca de 10 (dez) viaturas do Corpo de Bombeiros além da Lancha Bomba General Petrazzi, com 54 praças oriundos das Estações Floresta, Passo d’Areia e Naval.
Foram destruídas 56 edificações entre prédios e residências numa área superior a dois Km², com a derrubada imediata de quatro prédios além de 24 veículos danificados pela explosão.
Foram empregados 65 mil litros d’água na extinção do incêndio, que causou o triste saldo de 10 mortes e 59 feridos.
O efetivo do Corpo de Bombeiros de Porto Alegre atuou exaustivamente nos trabalhos de combate ao fogo e salvamento das vítimas, bem como no resgate dos corpos.

29 de dezembro de 1973 – Incêndio das Lojas Americanas, em Porto Alegre. Histórico: Em 29 de dezembro de 1973, as chamas que consumiram as Lojas Americanas, na Rua da Praia, só não deixaram maior número de vítimas porque começaram no final de uma tarde de sábado, quando o local já estava fechando. Cinco pessoas morreram.

1976 – Incêndio do Mercado Público, em Porto Alegre.

27 de abril de 1976 – Incêndio das Lojas Renner, em Porto Alegre.

1979 – Incêndio do Mercado Público, em Porto Alegre.

21 de junho de 1976 – Histórico: Porto Alegre tentava se recuperar do trauma pelo incêndio da loja Renner, ocorrido menos de dois meses antes, quando, no começo da tarde daquela segunda-feira, 21 de junho de 1976, exatos 36 anos atrás, uma coluna de fogo e fumaça – que podia ser vista de praticamente qualquer ponto da Capital – subiu ao céu na Zona Norte, próximo ao aeroporto. As chamas e a enorme nuvem negra provocaram a interdição de voos no Salgado Filho e a interrupção do trânsito na BR-116, principal via de chegada à cidade. No pátio de manobras da Estação Diretor Pestana, da Viação Férrea, os bombeiros travavam um duro combate, tentando extinguir o fogo que se alastrava por oito vagões de combustível e consumia 120 mil litros de petróleo. Tudo havia começado com as faíscas provocadas quando, numa manobra desastrada, o maquinista da locomotiva 6317 teria batido violentamente no vagão 37630. O intenso calor – que, segundo se estimou, chegava a 1.500ºC – dificultava ainda mais o trabalho para dominar o incêndio. Um gerador de espuma, nova arma importada da Alemanha, era usado com grande dificuldade e pouco resultado. Com exceção do cabo Mario Martins, que teve queimaduras no braço esquerdo e se intoxicou, sendo levado ao Pronto Socorro, desta vez não houve vítimas. O medo de explosões, que felizmente não aconteceram, dominou a todos por longas horas. No fim, restaram o prejuízo e o grande susto registrado na memória dos porto-alegrenses. (Texto “O Grande Susto” – extraído do Almanaque Gaúcho, por Ricardo Chaves com Lucas Vidal – ZH Blogs). Texto extraído do site: http://wp.clicrbs.com.br/almanaquegaucho/2012/06/21/o-grande-susto/?topo=13,1,1,,,13

26 de junho de 1996 – Incêndio no edifício Cacique, em Porto Alegre.

27 de janeiro de 2013 – Incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria. Histórico: O incêndio na boate Kiss foi uma tragédia que matou 242 pessoas e feriu 680 outras numa discoteca da cidade de Santa Maria, no estado brasileiro do Rio Grande do Sul. O incêndio ocorreu na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013 e foi causado por um sinalizador disparado no teto.  A imprudência e as más condições de segurança ocasionaram a morte de mais de duas centenas de pessoas. O sinistro foi considerado a segunda maior tragédia no Brasil em número de vítimas em um incêndio, sendo superado apenas pela tragédia do Gran Circus Norte Americano, ocorrida em 1961, em Niterói, que vitimou 503 pessoas; e teve características semelhantes às do incêndio ocorrido na Argentina, em 2004, na discoteca República Cromañón. Classificou-se também como a quinta maior tragédia da história do Brasil, a maior do Rio Grande do Sul, a de maior número de mortos nos últimos cinquenta anos no Brasil e o terceiro maior desastre em casas noturnas no mundo.

(Texto extraído de Wikipédia – Site: https://pt.wikipedia.org/wiki/Inc%C3%AAndio_na_boate_Kiss)

06 de julho de 2013 – Incêndio no Mercado Público, em Porto Alegre. Histórico: O Mercado Público sofreu seu quarto incêndio em 6 de julho de 2013. O fogo iniciou por volta das 20h30min na parte antiga do complexo, e se alastrou rapidamente, consumindo uma grande parte do segundo piso e do telhado. O moderno pátio interior coberto, com suas bancas, bem como o térreo da parte antiga, não foram atingidos. A estrutura de alvenaria do prédio sobreviveu mesmo nos locais incendiados e não sofre risco de desabamento. Sendo um dos edifícios mais tradicionais e estimados da capital gaúcha, o fogo causou emocionada apreensão em muitas pessoas, formou-se uma multidão em torno do incêndio, as redes sociais publicaram mensagens de tristeza, e pela intensidade das labaredas temeu-se uma destruição total. No entanto, os bombeiros chegaram rápido e em cerca de duas horas debelaram o fogo com um efetivo de 70 soldados e vários caminhões. Em inspeção no dia seguinte a perícia calculou que apenas 10% do total do Mercado foi destruído, mas de qualquer maneira os prejuízos foram grandes. Porém, não houve vítimas.

(Texto extraído de Wikipédia – Site: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mercado_P%C3%BAblico_de_Porto_Alegre)

Última atualização em 12/04/16

Corpo de Bombeiros Militar do RS